segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Temos o que merecemos?




Há quem tenha a sorte de ter uma vizinha boa.

Eu sou um infeliz, pois parece que andaram a escolher o pior que Deus criou para morar nas minhas imediações.

Velhas, cuscas, mal-humoradas e destituídas do sentido da solidariedade.

Não podemos contar com elas para nada, a não ser para escutar por detrás da porta quem entra e quem sai e a que horas o fazem.

Não vale a pena brindá-las com um sorriso matinal de bons-dias, pois levamos logo como uma frase com a que ouvi ontem.

-Olhe senhor, diga aquela menina que saiu hoje de manhã da sua casa, que bata a porta com mais cuidado.

Fiquei um bocado encabulado e, tenho que avisar a Lena para ser mais discreta.

Eu bem tenho tentado, faço o melhor sorriso, abro a porta do elevador e, até já tenho comentado o tempo para quebrar o gelo.

Mas não vale e a pena.

Não tenho uma vizinha boa e muito menos uma boa vizinha.

Sorte a minha!



1 comentário:

Sonhadora disse...

Manuel
Texto muito verdade...isso acontece.
beijinhos

Sonhadora