domingo, 8 de julho de 2012

A Espera







-Tenho um namorado!

Foi assim que me cumprimentou enquanto um brilho nos seus olhos, cor de âmbar, deixavam antever tudo aquilo que sentia.

-Tenho um namorado, repetiu, como se fosse a única no mundo a ter um namorado.

Rebolou os olhos, passou os dedos pelos cabelos e sorriu.

Parecia que todas as bênçãos do mundo a tinham bafejado.

Todo o seu corpo deixava antever a felicidade que a invadia.

Não se cansava de o repetir como se isso alimentasse a sua felicidade.

-É o Rui, conheci-o ontem no centro comercial. Estava a comer uma pisa e olhou-me de uma forma diferente. O seu sorriso de dentes brancos deixou-me loucamente presa no brilho do seu olhar. Era impossível ficar indiferente. Fiquei apaixonada, presa, sem poder resistir. Falamos o resto da tarde, andamos de mãos dadas. Beijou-me de forma intensa, como nunca ninguém me beijou. Ouvi sinos e cânticos, fui transportada a um lugar onde nunca me tinha sentido.

Estou, loucamente, apaixonada.

Vêm-me esperar á saída! Vamos ao cinema!

São oito horas e a Graça continua á espera, está impaciente mas não desiste. Devia ter chegado as seis e ainda não apareceu. Decerto algo aconteceu.

Nove horas, vai desistir, não pode esperar mais.

Agora percebe porque ele era apenas Rui, porque não tinha número de telemóvel para lhe dar, porque não disse onde trabalhava e, porque não era importante onde morava.

Agora já sabia a razão!










16 comentários:

Menina do cantinho disse...

E quantos Ruis não andam por ai? :( Infelizmente eu sei onde anda um ou outro

✿ chica disse...

Que pena que Rui foi uma ilusão...Lindo conto! abraços, ótima semana,chica

quem és, que fazes aqui? disse...

Tinha dado pela sua ausência, mas como é altura de férias, pensei que estivesse a ter uns momentos de sossego. Afinal,a trabalhar!

Quanto ao texto, há coisas destas e doutras. É a vida, que o Manuel retrata tão bem!

Beijo e não trabalhe muito.

Laura

SDaVeiga disse...

:-(

Smareis disse...

Olá Manoel,
Gostei da história!
Coitada da Graça, realmente algo aconteceu mesmo...
Gostei do recheio das palavras. (Cor de âmbar,rebolou os olhos) isso dá uma pitada de coisa boa.Gostei muito!
Parabéns amigo!
Te ler sempre muito prazeroso.
Grande abraços!

BlueShell disse...

Há assim...ilusões...mas teimamos em torá-las realidade!!!

Bem vindo - no dia em que minha mana faz anos....
Obrigada, meu querido, obrigada!
Um beijo
Isabel, aka, Blueshell

rosa-branca disse...

Olá Manuel, estou feliz que tenha voltado e mais ainda, por saber que a ausência foi obra de trabalho a mais.
Como sempre o seu conto tem um sabor que eu gosto e que nunca consigo adivinhar o final. Como romântica que sou, pensei, que ia acabar tudo bem. São as desilusões da juventude, embora eu saiba e bem, que desilusão não tem idade. Quem dera que tivesse. Beijos com carinho

Parole disse...

Provavelmente as razões estavam lá desde o inĩcio, mas a paixão não a deixou ver ...

Adoro o que escreve e como escreve, querido.Desejo que nunca pare...rs

Beijinhos e bom fim de semana.

Magia da Inês disse...

Que tragédia, hem?
Será que ela chorou muito?

¸❤✿•.¸
♥ Bom fim de semana!
♡ Beijinhos.
Brasil

Vivian disse...

OLá,Manuel!!!

Ah!Meu amigo um lindo e triste conto!
É uma pena que aconteça tanto!Por isso que confiança precisa ser conquistada.Melhor ser desconfiada...

*Fiquei encantada como retrataste tão bem a alma de uma jovem que sente os primeiros raios de amor em si!É bem assim!!!
Beijos e meu carinho sempre!
*Bom que estas de volta!

SOL da Esteva disse...

Manuel, meu Amigo

Este teu Conto é um grito a ser reflectido em tantas "Graças" e "Ruis" que inundam os espaços.
Elas e eles, teimam em se movimentar na maior falta de respeito e responsabilidade moral e social.
As raízes das "amplas" liberdades são profundas e, isso, agudiza o conceito de ter um namorado instantâneo.
Infelizmente, isto é demasiado comum.
Perdoa o desabafo.Que possa servir para algo.

Abraços


SOL

Luís Coelho disse...

A paixão foi de pouca dura. A pior e mais consistente foi a desilusão.
Esse Rui sem nome nem rua, sem nada de pequeno, mas capaz de magoar...

Diria coisas da vida! Tantas Marias abandonadas, tristes , vazias de estrelas e tão cheias de sonhos e ilusão barata.

Como sempre um prazer estar aqui contigo nesta forma especial de dizer as coisas simples de cada dia

Rita disse...

Bom dia de domingo!!
Conhecer aqui foi lindo, e esse texto é maravilhoso como o Blog todo
Deixo um abraço com carinho
Bjuss
Rita!!!!!

Janita disse...

Olá Manuel!
A estas desilusões, eu chamo "crescimento".
Ter um "namorado" é importante para quem precisa de amor na sua vida. Quem se preocupa com pormenores quando a ilusão é maior do que a razão?
O vídeo é muito lindo e completamente de acordo com o belíssimo texto.
Um grande abraço Manuel.
Janita

Palavras disse...

Olá meu caro,

que bom ter as suas palavras novamente!

O mundo anda cheio de Rui's...

Coitada dela!

Grande abraço

Leila

Janita disse...

Manuel, o que aconteceu ao comentário que deixei neste post?
Não me diga que nao foi aprovado??
Se assim foi, lamento!
Beijo.