segunda-feira, 19 de maio de 2014

Pinceladas







O cão estava desinquieto, cabeça no ar e, de vez em quando, acoitava-se espreitando por baixo das caravanas enxergando algo que só, mesmo, ele lobrigava.

Umas vezes, eram os gatos vadios que  se colavam aos muros, outras  as rolas que, entre uns “curucucus”, vão debicando os pequenos nadas de que se apercebem, ou os melros que em voos, desafiantes, passam num risco de asa e desaparecem por entre a folhagem de alguns pinheiros.

O calor é muito, as pessoas refugiam-se nas manchas das sombras das árvores percorrendo as paginas que, timidamente, a Internet deixa chegar, outros fecham os olhos e deixam embalar os pensamentos, numa espécie de modorra, que os possuem numa pachorrenta suavidade.

Muito raramente uma brisa, quente como o Sol, tenta amenizar o efeito mas é tão ténue e ligeira que, quando nos apercebemos, já passou sem mitigar um pouco a escalmorreira que nos abafa.

Estou debaixo de uma espécie de laranjeira brava, assim me parece, que me conforta com a sombra aconchegante, embora o meu desconforto e desassossegado, na cadeira, esteja a quebrar a quietude que encontrei.

Peguei no IPad e tentei tornar real a surrealidade deste quadro mas a inspiração, tal como o dia, deixa embotar as ideias e, uma espécie de letargia convida mais a uma sesta que a devaneios sobre o tempo, as aves, as sombras e até sobre o impaciente cão que sonha em voar para partir, com as rolas, ou compartilhar os ziguezagues dos melros negros onde umas pinceladas de amarelo, nas patas, quebram a monotonia desse luto eterno.

Finalmente o Sol encontrou o horizonte e deixou-se banhar nas águas distantes de um oceano de areia.

O calor, agora, foi enxotado por um vento que vai arrefecendo os corpos.

Ao longe descortino um Saará, a quem o sol vai dando os últimos retoques de um estranho dourado.

É o deserto que se vai escondendo nas sombras da noite.


(Escrito em 8 de Maio 2014 em Mirleft-Marrocos)




13 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Isto foi uma volta do tempo no deserto dos dias.
O lirismo das frases está reflectido no conjugar dos sentimentos e até no voo das aves que vão despertando no autor.

Uma visão diferente.

Votos de uma boa semana

SOL da Esteva disse...

Manuel, meu Amigo

Um relato (ou reortagem) que sinto revivida, por lá, há tempos passados.
Há um misto de fascínio e modorra. O espectáculo do pôr do sol é único.
Só estive longe da internet!...


Abraços



SOL

✿ chica disse...

Muito lindo e descreves os cenários de tal forma que nos leva contigo para eles! abração,ótima semana,chica

rosa-branca disse...

Pinceladas de nostalgia ao sabor dos ventos da memória. Acho que embalei nessa letargia...e adormeci. É tão bom lê-lo assim....na calmaria de mim. Beijinhos com carinho

Sonhadora (RosaMaria) disse...

meu querido Manuel

Uma viagem pelos caminhos das lembranças. É bom recordar.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

São disse...

Há anos e anos que desejo visitar Marrocos...

Espero que partilhe fotos connosco, rrss

Boas férias, Manuel

O tempo das maçãs disse...

Obrigado por partilhar tão belo momento com nós, Manuel.

Beijinho.

Pérola disse...

Inspiração com ventos quentes e odores fortes.

Beijo

© Piedade Araújo Sol disse...

pinceladas de imagens gravadas em palavras...

:)

Evanir disse...

Um abraço bem forte, bem verdadeiro,
abraço longo, cheio de sentimento.
Venho deixar meu abraço pelo dia do abraço
com muito carinho.
Evanir.

Flor de Lótus disse...

Oi,Manuel!Saudades de vir aqui, belíssima narrativa, como a Chica disse tuas descrições nos levam contigo para onde vais.
Beijosss

Palavras disse...

Amigo voce estava no Marrocos???

Um dia ainda chego lá! rsrs

Senti o calor no texto. Muito bom!

Deixo um abraço e o desejo de uma semana para você!

Leila

Laços e Rendas de Nós disse...


Um texto diferente do que estamos habituados, Manuel. Mas umas "pinceladas" muito bem dadas. Gostei do quadro!

Beijinho