quarta-feira, 9 de abril de 2008

Porque?



Nem todos compreendem que a lei da vida é “hoje tu, amanhã eu” e passam indiferentes como se o “amanhã eu” fosse um mito que não se lhes aplica.
Se verificarmos a indiferença com que alguns, muitos infelizmente, tratam aqueles
que começam a voltar a uma meninice de dependência total.
Todos a aqueles que esperam que lhe levem a sopa à boca desdentada, que lhe mudem uma fralda que os mantenham um pouco mais confortáveis.
Olham de lado e, muitas vezes, nem escondem o ar de enjoo e de repugnância que a situação lhes causa.
Esquecem que aqueles que numa cadeira tremem e esperam, sem saber bem como, o passar do tempo num olhar distante de recordações que lhe enchem um cérebro velho e cansado. Foram garbosos atletas, rainhas de beleza, médicos famosos, músicos, artesãos talentosos, donas de casa exemplares.
Alguns, possivelmente, fizeram em tempos o mesmo mas, não podemos ficar indiferentes, não podemos fazer de conta que não temos nada com isso.
São pessoas tão fantásticas e tem, ainda, tanto para nos dizer, experiências e estórias de um Mundo cada vez mais distante. Falam de um passado longínquo, de uma infância tão presente e de forma tão real, que não acreditamos que por vezes já tenham esquecido o que ontem lhes aconteceu.
Sabem memórias que nos deixam estarrecidos, sabem canções que nunca aprendemos, conhecem a vida de uma maneira tão diferente.
Quando os abordamos os seus olhos brilham e esquecem as dores, a incontinência, o mau estar, a dependência, a indiferença dos familiares que os entregam e abandonam em lares, onde os visitam pelo Natal.
O “amanhã eu” não tarda e, quando esse dia chegar é tarde para nos arrependermos da nossa indiferença.

2 comentários:

Kijar disse...

See Please Here

Filipinha disse...

100% de Acordo. E os que têm filhos não devem esquecer que "Filho és, Pai serás."