segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

A inteligência....





Eu gosto de touradas!
Não sei se por influência dos cinco anos, da minha infância, que vivi em Barrancos mas a verdade é que eu sou um aficionado da festa brava.
Eu vibro com a emoção dos touros, com a magia e com a bravura dos artistas que os enfrentam.
A elegância com que um toureiro chama a besta e o sita de longe, o recebe com umas verónias bem desenhadas, umas chicuelinas envolventes. A elegância com que se recorta na frente do touro, ondulando o corpo quando os cornos lhe acariciam o dorso.
Os “olés” do público contagiam o artista que mais se arrima. Os passe-dobles arrancam mais emoção ao espectáculo e o toureiro cresce de arrojo e coragem. Desenha manolitinas e remata com umas reboleras cingidas. È o delírio.
Por isso eu gosto de touradas, não de touradas à Portuguesa. Gosto de touradas em que um artista passeia os seus setenta quilos de arte e emoção, apenas, escudados num pedaço de pano, contra os 500 quilos de força bruta, armados de um par de cornos mortíferos.
Todas as vantagens estão do lado do touro. O toureiro só tem um argumento a favor.
A inteligência.

3 comentários:

Filipinha disse...

Que bom!! Pasodoble... Ficava o resto da tarde a ouvir.
Saudades de ir a uma corrida. Sevilha!!
Também gosto da Portuguesa. De infância recordo as idas ao Cp Pequeno e os encantos de Vila Franca de Xira com um fantástico almoço no restaurante "Redondel".
Belo Tema!
Quanto à inteligência do toureiro, sem dúvida!

Manuel disse...

É tão bom ter amigos que nos incentivam, que nos apoiam e nos dão tanto animo.

AnaT disse...

Eu não gosto mto de touradas... fazem-me impressão, dá-me sempre vontade de fechar os olhos na hora da estoucada ou da pega... mas tb não sou contra! Agora da música a conversa é outra...