segunda-feira, 16 de março de 2009

São os pobres de espírito........





Há momentos na nossa vida em que nos é difícil saber, de forma racional, o que nos move e motiva.
Andamos num desnorte total à procura do que muitas vezes já temos e sem saber, muito bem, aquilo que desejamos.
Não é que eu seja um vagabundo do fácil e do deixa andar, mas confrange-me ver pessoas a girar à volta do fatalismo, sem finalidades, agarradas a uma existência de lutas e sacrifícios mas sem vislumbrarem uma meta, ou um objectivo, que seja motivador dessa peleja constante.
Podem, um dia, vir a ter muito dinheiro, o que duvido, mas serão sempre pobres porque se agarraram ao miserabilismo como se isso fosse uma razão ou um objectivo de vida.
Parece que, para eles, a comiseração é a causa mais motivadora de uma existência vazia de tudo.
Vivem e morrem no desconhecimento total do prazer da experiência, da alegria da descoberta, do conforto do encontro, da satisfação do convívio e, até, muitas vezes na ignorância do amor.
São pobres, não porque lhes falte a fortuna, mas sim porque lhes falta a riqueza dos afectos.
São os pobres de espirito!


1 comentário:

Filipinha disse...

A pobreza de Espírito é das piores formas de pobreza que conheço...