terça-feira, 21 de abril de 2009

Eu acreditava.....



As religiões são como os pirilampos, só brilham no escuro (desconhecido)



Eu acreditava. Seguia todos os passos que a cartilha me ensinara. Era medroso na fé que me incutiram. Cumpria com todas as estafadas regras de uma Igreja caduca que ainda vive agarrada a ideias já há muito ultrapassadas. Ia à missa, agradecia todas as refeições que EU ganhara. Rezava e pedia por tudo e por todos. Acreditava numa justiça divina, numa razão em que os bons seriam sempre lembrados, sem esquecer que os maus eram filhos do mesmo Deus. Vivi muitos anos agarrado a esse Deus que tudo me prometia e que afinal tudo me tirou.
Pedi, implorei e ofereci a minha vida. Ninguém me ouviu, todos me abandonaram, fiquei só. Perdi a crença, esqueci a fé, reneguei a vida.
Hoje ando porque tenho que andar, vivo porque querem que eu viva. Deixei de sonhar, perdi o amanhã. Existo, tal como a Igreja, num passado que me vai devorando lentamente.
Viver sem fé e sem esperança é difícil. Viver só de recordações é doloroso.
Quando acreditava era feliz.
Roubaram-me a confiança, levaram-me a felicidade.
Hoje não acredito e sou infeliz.

3 comentários:

AnaT disse...

Ei, mas eu não deixo que fique assim...
Bjinho Amigo!

Telma Ramos disse...

Manuel, não seja assim! Deus (ou chamem o que lhe quizer) Existe, a FÉ temos que agarra-la a Vida Toda e Nunca se deve desistir (por muitas coisas más que nos vão acontecendo ao longo da Vida)! Por isso um conselho de Amiga... NUNCA DESISTA DE TER FÉ E TENHA SEMPRE MUITA ESPERANÇA. Beijocas e FORÇA

Manuel disse...

Admiro, respeito e estimo os que acreditam.