sexta-feira, 8 de maio de 2009

Mais Diálogos da Maria Inês.



-João é sempre a mesma coisa. Telefonas, combinas e depois não apareces.

-Querida sabes como é? O trabalho, os afazeres, as obrigações tiram-me o tempo todo.
Mas estou, sempre...sempre, contigo no pensamento.

-Oh pá, mas assim não está bem, preciso de ti. A chata da minha mãe não me larga. Maria Inês para aqui, Maria Inês para ali. Preciso estar contigo.

-Mas agora estou aqui, não estou?

-Pois, mas não tarda vazas e cá fico eu pendurada. Se eu tivesse algumas amigas ainda podia ir ao Cinema, mas as gajas que conheço são umas “enconadas” que não servem para nada.

-Compreendo, mas agora não penses nisso, eu estou aqui.

-Então vamos curtir a tarde toda, tinha tantas saudades tuas. Oh pá!

-A tarde toda não pode ser, eu dentro de uma hora tenho uma reunião e não posso faltar.

-Oh merda, sempre a mesma coisa. Estou a ficar passada. Ou não apareces, ou quando apareces vens sempre com o fogo no rabo. Começo a estar farta. Assim não dá.

-Amor vê se te acalmas, eu também gostava de estar sempre contigo. Não me sais do pensamento.

-Acho que me andas a enganar. Olha que o meu louro não é natural, não sou burra.
Chegas sempre cansado, com pressa e sem genica.

-Amiguinha, tem calma que não tarda tudo vai ficar bem.

-Quer dizer que vamos viver juntos, ou ainda melhor vamos casar?

-Rapariga és maluca ou que? Já me destes cabo do dia.
Adeus passa bem.

-Chiça que já espantei mais um. Ahhhh...porra.... também o gajo não valia nada!


2 comentários:

Filipinha disse...

A Maria Inês é demais!!

AnaT disse...

Que maneira airosa de se livrar de empecilhos!