quinta-feira, 30 de julho de 2009

Tá o mundo perdido.




Ando preocupado com o meu amigo Serafim. Ele anda maluco e, ainda, acaba por arranjar problemas, mas não sei o que fazer para lhe por algum juízo naquela antiquada cabeça.

Já lhe disse que os tempos são outros e que as mentalidades são diferentes, Já o tentei convencer que temos que aceitar as diferenças e passar ao lado sem nos admirarmos com a forma como o mundo tem evoluído.

Mas nada feito, o homem está possuído e não sei, confesso, não sei que mais possa fazer.

Ontem veio-me com esta:

-Lestes o que veio escrito nos jornais?

-Sobre o que, Serafim?

-Essa tal de manifestação dos gays e lésbicas que querem uns direitos que eu não percebi bem quais. Para já, não sei donde veio essa ideia de lhes chamar gays e lésbicas, quando todos sabemos e, eles também sabem, que sempre foram paneleiros e fressureiras. Onde se viu essa de gays e lésbicas. Estrangeirices. Esta gente tem a mania das estrangeirices.
É uma maricagem que não me entra cá na cabeça. Afinal o que essa gente quer? Pensaram, já, que ideias que essa gente tem. Já pensaram dois homens na cama? Um com o outro? A fazerem o que? Deve ser tal e qual como quando um cão se monta noutro cão e tenta desajeitadamente conseguir aquilo que não é possível. Um cão não é uma cadela. Esses paneleirotes devem ser, tal como os cães, um sem jeito e sem graça total. Não consigo compreender, nunca vi mas gostava de ver só para poder compreender.

E duas mulheres? Começa por ser um desperdício de quatro mamas e duas patarecas sem aproveitamento. Sim o que fazem com esse maravilhoso material? Batem pratos? Uma apalpa a outra? É isso? Não posso compreender. Não me entra na cabeça. É um parafuso com outro parafuso, ou, uma porca com outra porca. Não tem jeito. O parafuso foi feito para a porca e a porca para o parafuso. Doutra maneira não bate certo.

-Mas Serafim eles sentem-se felizes assim e nós temos que respeitar as inclinações sexuais de cada um.

-Qual o que! Agora também tu os vens defender! Inclinações sexuais?

Aberrações! Sim isso é que é. Aberrações! Agora também tu me vens com essas ideias absurdas. É o fim do mundo. Está tudo perdido. Não há salvação possível.

Desaparece.

Vá, desaparece.

1 comentário:

Filipinha disse...

Respeitar... É a única coisa que me ocorre. Respeitar as tendências de cada um. Compreendo? Aceito...