segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Anda......

Anda, enxuga essas lágrimas que emolduram o teu rosto e vem sentar-te junto a mim.

Deixa que toda a tristeza que o teu coração encerra fuja do teu corpo, como a névoa se dilui com o calor do Sol.

Solta a tua Primavera e não deixes que um qualquer Outono venha estiolar a força que a natureza te deu.

Sente a força do teu querer e não deixes que a subtileza das palavras cerceiem a tua pujança num acomodar atrofiador, transformando um presente numa vida serôdia.

Anda, encosta a mim as tuas palavras, deixa fluir os teus lamentos.

Vem, as flores viçosas não devem definhar, tem que manter toda a sua frescura, tem que ser regadas com as palavras que alimentam.

Anda, senta ao pé de mim e conta tudo o que tens para me contar.

Enche os meus ouvidos dessas frescas gargalhadas, deixa que o cheiro da tua juventude seja mais forte que um querer que não se quer.

Anda.

Vem, não tenhas medo.

Estarei sempre aqui.

3 comentários:

AnaT disse...

Já vou a caminho... (lindíssimo...)



P.S.: Como sou "abusada" servi-me... não estou a dizer que fosse para mim!:o)

Manuel disse...

Sou curioso, mas não vou perguntar para quem.

Filipinha disse...

Lindo!

E acompanhado por uma das minhas músicas favoritas.