sábado, 3 de abril de 2010

O milagre



Há muito que o pensamento não o deixava tranquilo.

Queria mas não era fácil.

Muitas noites acordava com uma voz que lhe gritava aos ouvidos:
-Vai, tens que o fazer!

No decorrer do dia ia deixando que os pensamentos negros se esfumassem nos problemas do quotidiano.

Havia uma monotonia de factos, uma onda de vazios que enchiam o eco que o acompanhavam.

Não eram propriamente insónias que lhe perturbavam e confundiam o sono, mas sobretudo um choque de pesadelos fantasmagóricos que povoavam a sua conturbada mente.

Por vezes, tantas vezes, acordava alagado no suor da perturbação de pensamentos que o conduziam a uma falsa libertação.

Ouvia gritos, gritos que queriam ser libertadores mas apenas tinham o condão de o deixarem mais, e mais, agarrado a essa louca necessidade de acabar com o sofrimento de um vazio que o enchia de medos e frustrações, que se alapavam no seu conturbado pensamento.

Não queria mas parecia ser a única solução, a única forma de o libertar dessa amálgama de medos que o sufocavam e angustiavam.

Nada lhe saía bem. A mulher, sem olhar para trás, partiu com um funâmbulo do circo que visitou a aldeia. Deixou num pequeno papel razões para essa fuga ao ócio num panorama limitado. Queria mais, precisava de espaço.

Inácio quis chorar, quis gritar toda a frustração do abandona mas as lágrimas tinham secado e a garganta calou os sons.

Queria desistir, o fim podia ser o princípio do descanso que a vida lhe tinha tirado.
Tinha um baraço forte, de sisal entrançado, que servia para segurar o baloiço onde ELA se deixava embalar, ao fim do dia, no remanso de uma canção do Júlio Iglésias.

Ia fazer um laço à volta do pescoço e tal como o outro, o da Bíblia, escolheria uma oliveira, árvore que dá vida e que pode levar a existência de quem da vida mais nada espera.

Manhã cedo, na timidez de um Sol que despertava para o dia, foi à procura da árvore da vida.

Era uma oliveira imponente, nodosa e onde os reflexos dum Sol que despertava inundavam o olhar de verde de oiro.

Subiu na força do braço onde repousava inerte o baraço que o ia libertar de todo o cansaço.

Prendeu-o no tronco mais forte capaz de o segurar quando se libertasse na procura do espaço que nunca encontrou.

Olhou em redor numa despedida, quiçá, já com saudades desta vida.

Ali, mesmo ao lado, num ninho tosco e desajeitado pipilavam duas aves implumes, bicos abertos num desespero de olhos fechados, quase monstros na agonioza procura de uma mãe que não apareceu quando se libertaram daqueles cascas em que metamorfosearam durante doze dias.

Deu-se o milagre Inácio encontrou, finalmente, uma razão.

Tirou a corda, pegou no ninho e correu para casa.

Queria viver para cuidar das duas rolas que o destino lhe colocou no caminho.

Agora tinha um motivo

http://fabricadehistorias.blogs.sapo.pt

15 comentários:

Sandra Botelho disse...

As vezes precisamos apenas de um pequeno impulso, um motivo para seguir...
Lindo teu conto. Bjos no coração!

AFRICA EM POESIA disse...

Manuel


Lindo conto mesmo real....

No bico da minha avezinha um carinho enorme e ..


Páscoa FELIZ...


Beijos

Kimbanda disse...

Olá Caro amigo Manuel,
Tudo o que na vida não seja feito por paixão, não tem substância.
Ou há algo que nos mova, ou não caminhamos, vamos simplesmente, estando.
Forte e sincero kandando

Menina do cantinho disse...

Olá!
O que seria de nós sem objectivos? Ambições? Claro está quando não existem em exagero.
Precisamos de motivação para viver, precisamos de nos sentir especiais e importantes para termos coragem de viver neste mundo complicado. E só assim faz sentido.

Espero que tenha passado uma óptima Páscoa.

Beijinhos

Manuel disse...

Gostei muito de "O Milagre"
Um abraço
JFB

Manuel disse...

Comentário enviado por um amigo que muito admiro.

Acho os seus textos extremamente bons, traduzindo uma grande capacidade para o conto, revelando uma enorme sensibilidade e um grande sentido humano. São comentários em que o amigo se pôs de parte, com toda a sinceridade.
São talvez tristes mas a tristeza faz parte daqueles que olham a vida atentamente. O manuel Bandeira dizia que so conhecia "o outro lado da alegria!"
Um abraço do seu amigo
JFB

Sonhadora disse...

Meu querido amigo
Maravilhoso o seu texto, como sempre.

Beijinhos
Sonhadora

AFRICA EM POESIA disse...

Amizade verdadeira



Letras escolhidas
Dentro do alfabeto
E com letras escolhidas
a Amizade aparece...

É um sonho ter um amigo
É uma paixão saber que tem amigo
É loucura saber que é amigo
E com sonho, paixão e loucura, sou mesmo feliz...

E amizade quer muito sacrifício
Por vezes fechar os olhos para não ver...
Temos que calar para não ferir...
Temos que afagar, quando acontece bater...

Mas a amizade vai nascendo
E vamos deixar que se enraíze
Para que dentro do nosso peito
Haja mesmo lugar para mais um Amigo...



Lili Laranjo

Marliborges disse...

Lindo conto. Lembrei-me de um livro que li há bastante tempo atrás: "Sem tesão não tem solução", é preciso sim, ter objetivos, apaixonar-se, colorir a vida. Bjssssssss

SDaVeiga disse...

Um regresso em grande!!!

E que tal "concorrer na "Fábrica de Histórias" com esta entrada linda?!? O tema desta semana é mesmo indicado!!!
É favor só ir lá coscuvilhar, género orçamento sem compromisso (http://fabricadehistorias.blogs.sapo.pt/45848.html).

Beijinhos grandes e que as rolas cresçam fortes!!!
Se precisarem de vet, não é bem a minha especialidade, mas a gente vê o que pode fazer!!! ;P

Graça Paz disse...

Boa noite Sr.Manuel*
Obrigado pela sua visita e sendo um homem do campo ainda sabe melhor!São Paio é o palco das minhas caminhadas e a terra que eu adoro!

Um beijinho

Graça

Kimbanda disse...

Estimado amigo,
Venho para deixar o meu kandando com os votos de excelente fim de semana.

Filipinha disse...

Manuel,

Adorei este texto. Muito mesmo. Tenho andado meio fugida mas de vez em quando paro para o ler.

Adorei a música. Sei de cor e ouvi vezes sem conta.

Um grande beijinho

Fatima disse...

Oi Manuel!
Como sempre entrei e fiquei, fiquei...
Sempre muito bom te visitar.
Bjs.

Kimbanda disse...

Manuel estimado amigo,
Uma óptima semana para si!
Kandandos