segunda-feira, 25 de outubro de 2010

A gravidez da Joana





Joana tinha acabado de fazer treze anos, era muito infantil e ainda gostava de brincar com o seu boneco “Nenuco”, mas tinha que o fazer às escondidas
porque o seu irmão, Jorge de 18 anos, gozava com ela.

Os pais eram, como ela dizia, porreiros mas andavam sempre a discutir.

Hoje, entrou na cozinha e com o ar mais natural deste mundo gritou:

-Pessoal acho que estou grávida!

A mãe abriu a boca de espanto e ficou muda com um olhar esgazeado. O pai não se conteve e encontrou logo ali o bode expiatório, a mulher:

-A culpa é toda tua, se a tens educado como se educa uma rapariga nada disto
teria acontecido, mas não, vocês mulheres são todas a mesma coisa.

A mulher olhou-o de través e, chispando, como um toiro enraivecido atirou:

-Mas quem és tu para falar, inútil que nunca se importou nada com os filhos,
que nunca os acompanhou. Carregas tudo para cima de mim. És um zero que
sempre tens descartado os problemas e pões o cu de fora quando os há para resolver.

O filho mais velho olhava os coroas sem perceber aonde queria chegar com esta discussão. Se a Joana estava grávida havia que saber quem era o gajo e dar-lhe um enxerto de porrada e o assunto ficava resolvido. Mas não, os cotas discutiam sem saber resolver um assunto tão simples.

A Joana, coitada, estava meia confundida com o impacto que a sua exclamação tinha provocado. Mas afinal o que é que ela tinha feito assim de tão mal?

-Oh mãe porque é toda essa zaragata?

A mãe olhou-a, quase irada, e com um embargo na voz soltou:

-Joana não sabes o que dizes se calhar nem te apercebes que podes ter
estragado a tua e até a nossa vida!

A rapariga olhava a mãe, o pai e o irmão sem perceber onde estava o drama. O que tinha acontecido de tão grave para todos a olharem desta forma tão colérica. Desatou a chorar num pranto tão sentido que a mãe não resistiu e correu a abraçar a filha.

-Querida, grávida na tua idade! Isso nunca nos passou pela cabeça. Mas afinal quem é o culpado dessa desgraça?

Joana olhou a mãe cada vez muito confusa.

-Culpado? Acho que foi o feijão!

O pai esbugalhou os olhos.

O irmão esfregou a cabeça num gesto de quem não está a perceber nada do que
se está a passar e gritou;

-Quem é esse feijão que eu parto-o todo.

O pai mais comedido:

-Vamos resolver isto de uma forma civilizada.

A mãe, olhos brilhando de lágrimas:

-Querida quem é esse feijão?

Joana com os soluços a embargarem a voz exclamou.

-Mãe... foi o teu feijão. Comi o feijão guisado que deixas-te para o almoço e, não sei porque, comecei a ficar com a barriga inchada. Doía e fui ver à Internet o que fazer para me tratar. Procurei e dizia lá que barriga inchada podia ser sinal de gravidez.

Desatou num choro convulsivo, soluços que metiam dó:

-Pensei que o feijão me tinha deixado grávida. Eu não sabia que isso era mau.

Desculpem!




9 comentários:

acácia rubra disse...

Ah, santa ingenuidade!

Onde é que param Joanas destas?

Em Educação para a Saúde, vulgo Educação Sexual, depois de algumas aulas que, sem qualquer preparação, somos obrigados a dar, um aluno perguntou-me " diga lá, stôra, o que é que a senhora não sabe?

Desatei a rir.

Beijo

Luna Sanchez disse...

Rs...que delícia essa dose de inocência, me fez bem, Manuel.

Obrigada!

Beijos.

ℓυηα

SDaVeiga disse...

Esse feijão é perigoso...
Eu cá ficava a pau, não vá a coisa ser mesmo séria...

;)

Sandra Botelho disse...

Ah tadinha...
kkkkk
E olha amigo existem meninas ainda com essa ingenuidade.
Um dia conheci uma.
Bjos achocolatados

Ludmila Ferreira disse...

Isso é tão ingenuo e tão profundoo, me vii agora comoo alguem tão insensivel...

Obrigaada por escritos dessa magnitude.

Um abraçoo bem apertadoo.

beeeijOdalua!

Magia da Inês disse...

Olá, querido amigo!...
Rachei o bico dessa vez... feijão que engravida... na internet???
Como você é original!!!
Se há uma pessoa que eu gostaria de conhecer e conversar pessoalmente... é com você!
Você é muito, muito melhor humorista que todos que eu conheço pela Tv... você é simplesmente impossível!!!
Sei que aí em Portugal se diz "tu" e não "você"... aqui é o contrário... desculpe-me... às vezes, fico muito confusa com os pronomes de tratamento...
Beijinhos.
Dila
Brasil

Menina do cantinho disse...

Tem um presentinho no meu cantinho.

Beijinhos

Luz disse...

Caro amigo Manuel,

Mais uma bela história que nos conta.
Esta ingenuidade tem o seu lado sadio e, até me fez recuar no tempo, recordar episódios com colegas.
Hoje esta ingenuidade já é rara, direi mesmo quase inexistente, tem o seu lado positivo, mas um pouco de ingenuidade também nunca fez mal a ninguém!
A descoberta com naturalidade e espontaneidade é tão mais bela.

Beijinho com amizade da Luz

AnaT disse...

Há quem chame de feijão qdo vê a 1ª ecografia...