segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

A cantora





Até que a rapariga não cantava mal. Era uma daquelas baladas brasileiras a que a voz doce da cantora emprestava uma sensação de cócegas.

As pessoas mais preocupadas com o conteúdo dos pratos, pouca ou nenhuma atenção lhe votavam. Ela persistia na cantiga, onde o amor ainda havia de voltar.

Um pouco tímido cruzou os olhos com os da artista e mais timidamente ainda os deixou cair.

A voz dela parecia mais doce e a letra da canção era como se fosse só para ele.

Falava de tristezas passadas e de muitas promessas de um amor que iria acontecer.

Havia lamentos e todas as venturas de um dia que estava tão próximo. Falava de beijos quentes, de promessas que pareciam reais.

Ficou enlevado e procurou-lhe os olhos que num largo sorriso o deixou confuso.

Desviou o olhar e o rubor tomou conta do seu rosto, como de um rapazinho envergonhado.

No seu cérebro mil projectos se começaram a desenhar. A que horas sairia? Iria só, ou alguém e a iria esperar? E o sorriso? Meu Deus, aquele sorriso!

Ficou desajeitado como sempre, sem saber tomar uma decisão.

Pediu mais uma bebida, era a terceira e decerto não lhe iria cair muito bem. Não estava habituado mas a ocasião a isso o obrigava.

Em pequenos goles ia ficando inebriado com a letra que decerto lhe era dedicada.

Os acordes entravam nos ouvidos e as palavras daquele amor esquecido aqueciam uma existência tão vazia.

....Será hoje meu Deus, será hoje
Que o amor vai surgir, assim, de repente
Trazendo tudo o que quero e
Aquecendo de forma tão boa a alma da gente.....

Estava enlevado na letra, inebriado na música.

....Quando sua boca me chama
Eu corro apressada
Rebolo consigo na cama
Não preciso mais nada......

O pensamento levantou voo, os olhos fecharam-se num doce torpor.

Andou nas nuvens de mãos dadas, vogou ao sabor do vento, rodopiou
agarrado aquela delicada cintura.

Beijou uns cabelos negros que lhe roçavam o rosto e que o deixavam louco.

Estava próximo daqueles lábios carnudos que em promessas se abriam para ele.

Já sentia o sabor de um beijo quente que se aproximava.

O corpo tremia de prazer.

***************************

O susto foi enorme.

Acordou sobressaltado com alguém que lhe berrava aos ouvidos e não era a cantora:

-Então amigo, acorde que vamos fechar, o espectáculo acabou há muito!


Só frio da rua o trouxe à realidade.




13 comentários:

Vivian disse...

Bom dia!!

Ah!!Nossa!! Ele ficou a sonhar e perdeu a chance...
É assim, se não cuidamos dormimos no ponto!
Adoro seus contos!!
Muito bom de ler!
beijos!!
Ótima semana!

Gu Paiva disse...

A narrativa me prendeu! haha
Divertidíssimo teu texto! E não menos poético por isso... pelo contrário. Gostei mesmo! Já me peguei imaginando situações assim.

Ludmila Ferreira disse...

Uau.. esse foi de se tirar o fôlego viu!
Imagine idealizar tanto uma coisa e deixar isso passar? Ô céus!!!

Amei! Magnífico!

Estou bem sim e você?

Um abraço bem apertado!

beeeijOdalua!

SDaVeiga disse...

'Tadinho...

E lá se foi a cantora a pensar que ele é só mais um beberrolas...

Que desperdício de uma boa oportunidade de encontrar a felicidade!

SDaVeiga disse...

O problema é que ele não tinha lido o blog da Rita (http://refletiresentir.blogspot.com/2011/02/em-tempos-de-incerteza.html) e pôs-se a sonhar com o futuro em vez de aproveitar o presente...

Magia da Inês disse...

Oi, amigo!
Será que a cantora também não pertencia ao sonho e ao sono embalados pelo alcóol?
Esse é um dos seus melhores contos.
Beijinhos.
♥ Boa quinta-feira! ♥ ° º
° ♥ °º ♥ °º
° ·.·.

Sandra Botelho disse...

ora pois , pois...Como podem fazer isso ao gajo?rsrsrsr
Bjos achocolatados querido amigo.

acácia rubra disse...

Tenho pena dele... que estava cheio de sono. Não é com ele que se deve ir para sítios destes...

Talvez ele volte. E se voltar?

Beijo

AFRICA EM POESIA disse...

Manuel
Vamos esperar
O Sporting vai voltar em Força...
Beijos

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Manuel...
a gente sempre espera, sonha e antecipa o amor.... e na maioria das vezes, nào vemos o real. O possível, nem sempre é o sonhado.
Coitados de nós....
Como sempre, essa pitada de nostalgia da tua prosa, me capturou!

Sonhadora disse...

Meu querido Manuel

passando para desejar bom fim de semana e deixar um beijinho.

Sonhadora

Magia da Inês disse...

Passei para ver as novidades...
Boa semana!
♥ Muitos beijos ♥ ° º
° ♥ °º ♥ °º
° ·.·.

Luz disse...

Amigo Manuel,
Que conto! Mais um que nos deixa a pensar, ou antes, deixa-me a pensar... O sonho sempre tão presente nestes contos, a nostalgia de algo que podia ter sido e não foi..., será!?... A verdade é que seja o que for, gostei muito e, mais ainda se concretizado :)

Obrigada pela presença amiga, pelas palavras deixadas a esta alma apaixonada na alegria e na dor, sempre intensa em qualquer um dos estados.

Beijinho com amizade