quinta-feira, 16 de junho de 2011

Num arco de flores





Partistes, de repente, num arco de flores
Num terno adeus, num até mais não.
Fiquei tão só, carpindo minhas dores,
Na mais longa e dolorosa escuridão.

Nada mais interessa, nada mais existe,
Só o espinhoso escuro da minha solidão.
Morri... também... no dia em que partiste,
Tudo acabou, mais nada existe... desde então.

Escuto a tua voz...suave...no meu pensamento
Melodias de palavras murmuradas... só para mim
Murmúrios doces...sons de puro encantamento;

Arco de flores... sorriso que o tempo já murchou,
Morro devagar. Sentindo a dor do meu sofrimento.
Que chegue a hora, não quero mais ser quem sou.


13 comentários:

acácia rubra disse...

Li o poema todo, primeiro.

Achei-o triste.

Li-o, depois, acompanhado com o Ave Maria e achei-o muito mais triste.

Então, Manuel, então??

Beijo carinhoso

Ludmila Ferreira disse...

"Escuto a tua voz...suave...no meu pensamento..
Melodias de palavras murmuradas... só para mim.."
Isso para mim é saudade, uma saudade saldavel mais que aperta o peito de vez em quando.

Saiba que estou muito feliz em ve-lo por aqui, mesmo que de relance.

Muitas saudades suas.

beeeijOdalua!

Magia da Inês disse...

。˛♥
Amigo,

Que soneto MARAVILHOSO!!!
Eu não sabia que além de escritor és poeta.

Beijinhos.
Brasil

。˚ ˚ ˛✿♪♫♪
。˛♥

Flor de Lótus disse...

Olá meu caro!Que versos tristes, de cortar o coração ainda mias com essa música...
Dizem que na vida tudo passa,mas há dores que parece que por mais que o tempo passe elas não passam, as lembranças fica, as dores e a saudade de quem se foi também,nessas horas eu fico bem perdida e sem saber o que fazer...
Uma ótima semana!
beijosss

acácia rubra disse...

Estou um pouquinho preocupada com o seu silêncio.

Está tudo bem,mesmo?

Beijo

Smareis disse...

Que linda imagem desse maravilhoso arco-iris.
Um poema de amor cheio de encanto, sensibilidade.Quando as palavras entram na cadeia alimentar da nossa alma, há inspiração... e "Extraímos faíscas do fluxo dos sentimentos.
Desejo um ótimo começo de semana cheio de coisas maravilhosa pra você. Um Abraço!

Evanir disse...

É bom d+ te encontrar aq e receber seu carinho.
Ele me faz tao bem. Agradeço pelas tuas mensagens.
Tudo que é bom dura o tempo,
suficiente para se tornar inesquecível.
Muito obrigado pela tua amizade.
Que a doce paz faça parte de seu coração hoje
e sempre e haja vida resplandecendo
através do seu suspirar.
Que você tenha muita luz e paz.
Muito obrigado por existires.
feche seus olhos e deixe seu coraçao falar
Pois ele nunca falha
Quando for dificil decidir .
Beijos no coração uma linda semana.Evanir

SOL da Esteva disse...

Manuel

Poemas assim, tão repletos de sentimento e Vida, faltam no nosso mundo.
Se me deste a honra suprema de fazeres comparações, também deixo a minha: traços e linhas de Florbela Espanca.
Fico-te obrigado.

SOL da Esteva
http://acordarsonhando.blogspot.com/

Janita disse...

Olá Manuel.
O poema é belíssimo! Tem um sentimento que nos toca bem fundo na alma.
Triste sim, mas é na poesia que se colocam os sentimentos mais profundos.
Sinceramente, gostei muito.
A Avé Maria de Schubert nunca me canso de ouvir.
Parabéns, Manuel.
Um beijo
Janita

Kimbanda disse...

Olá amigo Manuel.

Não tenho tido acesso à net, sempre e como desejaria.
Vou indo e vindo e quando tenho hipótese visitando os amigos.
Não estou em condições de publicar, mas não dispenso ler suas publicações.

Gostava de por aqui passar e para além de me encantar com sua prosa e poemas, sair mais leve e até surpreso como tem acontecido muitas vezes com seus contos, mas o que me fica depois de ouvir baixinho como música de fundo Avé Maria, para não perturbar a concentração no poema, é uma sensação de angústia ao interiorizá-lo.
Como a mim me acontece por vezes, passo para as palavras momentos assim. E quando os amigos me comentam, graças a Deus já estou noutra.
Quero dizer com isto, que os meus votos são o desejo de que entretanto o seu estado de alma esteja tranquilo e compensado.
Os amigos não resolvem tudo com sua dedicação, mas são um bom contributo para amenizar um pouco com a sua companhia e carinho com que o rodeiam.

Um forte e amigo Kandando e voltarei em breve... Inté amigo Manuel

varandasazuis disse...

Olá Manuel...boa tarde!

Gosto demais de sonetos, sempre me encantam e emocionam, principalmente quando escritos com a alma, como o que acabei de ler...parabéns pela sensibilidade que vc possue, e que é rara encontrar...

Quanto as minhas varandas, venha mais vezes debruçar-se por lá...ficarei feliz!

bjos...

✿ chica disse...

Só posso t aplaudir.Lindo! abraços, tudo de bom sempre,chica

Vivian disse...

Bom dia,Manuel!!

Maravilhoso!!! Triste? Sim...mas de um romantismo perfeito,de um tempo onde honra, lealdade eram coisas comuns à todos.Quando se perdia o amor morria-se aos poucos...pois o amor verdadeiro não pode ser substituído!!
Li com puro contentamento, e lembrei-me de Abelardo e Heloisa...nossa, é uma história ao mesmo tempo tão triste mas de uma beleza incomparável, pois o amor está acima de tudo, Chorei tanto que mesmo depois de um tempo, lembrar da história ainda me trás lágrimas aos olhos!Quem não gostaria de ser amado assim não é?!!
Belíssima poesia, que fala do amor que não tem fim,nem mesmo com a morte...
**Muito obrigada por ler todos os contos, sei bem que o tempo anda curto, agradeço muito!!Não quero correr o risco de ficar muito limitada a um tema...e aprecio muito sua opinião.
Beijos com respeito e admiração!
Obrigada, por tanta gentileza.