sábado, 20 de dezembro de 2014

Quase um conto de Natal.......









Esta história, que aqui vos deixo, faz parte das minhas mais gratas recordações. É real, não é apenas uma, estória, fruto da minha imaginação.

                                  **************

Há alguns anos atrás, quando eu ainda sentia a magia do Natal, havia um homem de cerca de 80 anos, alto, elegante e com uns olhos azuis cheios dos mistérios de uma vida longa e dolorosa, que todos os meses, invariavelmente, pelo mesmo dia e, sempre, pelas sete e meia da noite batia à minha porta a pedir esmola.

Rogava, sempre, algo que pudesse levar para ajudar a uma refeição. Não queria dinheiro.

Vestia, com distinção, um fato já muito puído pelo uso, uma camisa branca deformada e uma gravata quase tão velha como o dono.

Era de grande eloquência e senhor de uma sabedoria fruto da experiencia de uma longa vida.

Num dia de Dezembro, à hora de sempre, tocou a campainha e, com a distinção habitual, pediu ajuda para aconchegar o estômago.

Eu, talvez imbuído pelo espirito de Natal que já se sentia no ar, perguntei-lhe se não queria jantar comigo?
Notei o brilho do azul dos olhos cintilar de forma mais intensa.

Timidamente respondeu:

-Gostava muito, vou-me sentar aqui nas escadas e agradeço de todo o coração!

-Vai jantar comigo, na minha casa, na minha mesa, confirmei eu.

                          **********
Comeu com uma delicadeza que, fazia adivinhar, ser alguém de princípios que a vida abandonou no fim da jornada.

Falou pouco, contou, apenas, que tinha feito 81 anos em Novembro, não se lembrava bem do dia. Disse que o filho, que deveria ter agora 45 anos, era advogado mas, que se havia esquecido que tinha um pai velho.

Vivia, por caridade, num quarto que uma, bondosa, senhora lhe 
dispensava.

Só pedia, em cada casa apenas, uma vez por mês.

Assim, dizia ele, não se tornava maçador e sempre o iam ajudando.

Acabada a refeição, recordo como se fosse hoje, olhou-me e, de forma acanhada disse-me:

-Há uma coisa que não bebo há longos anos mas, se hoje, me desse um eu aceitava!

-Diga, balbuciei, se eu tiver!

Olhou-me, quase com timidez, antes de responder:

-Era um cafezinho!

Bebeu-o com satisfação, pediu licença para se levantar, agradeceu e encaminhou-se para o frio da noite.

Não resisti, fui buscar a minha única gabardine e disse-lhe para a vestir.

Espreitei pela janela, vi-o desaparecer na esquina da rua. 

Figura alta e elegante, a que a minha ex-gabardine dava conforto, para vencer o gélido ar dessa noite.

Para mim, esse inverno foi mais frio, era o meu único agasalho e, eu, gostava tanto dele.

Mas valeu a pena e nunca me arrependi.

Foi a última vez que o vi, não mais apareceu.

Provavelmente, o filho, voltou a lembrar-se que tinha um pai.

Velho sim!

Mas era o seu pai!





27 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Manuel este quadro é de uma ternura difícil de descrever e parece-me ser também mais uma vida marcada pelo destino.
Estes quadros são muito frequentes infelizmente. Muitos pobres abandonados.
São ainda menos comuns os casos em que se lhes abre a porta e se convidam para a ceia. Aqui a ternura ultrapassou todos os limites quer pelo teu convite quer ainda pela forma que o Senhor se mostra delicado e aceita o café e o agasalho.
Desejo-te boas festas- Feliz Natal.

Gracita disse...

Olá Manuel
Uma comovente história. Essas recordações ficam tatuadas no coração e delas nunca se esquece tal a força do sentimento vivenciado por você neste encontro. E aqui eu me apercebi quão generoso e afável é o teu coração
Amigo desejo que as luzes que iluminam o pinheirinho de natal para receber o amado Menino Jesus iluminem a sua trajetória em 2015 para que você realize todos os seus projetos. Desejo que o natal transcorra na maior alegria em companhia de todos os seus familiares.
Um abraço e carinhos meus

Gina G disse...

Que bom coração o Manuel tem.
Feliz Natal.

Mirtes Stolze. disse...

Boa noite Querido Manuel.
Hoje meu amigo também estou lutando quanto as minhas lembranças, o Natal vem chegando e a saudade vem corroer o meu coraçao,mas enfim a vida segue. O seu relato emocionante, como eu queria que existissem mais pessoas na vida com um coraçao enorme como o seu. A Ingratidão desse filho para com o pai são coisas que ate hoje não conseguir compreender, como largar o seu próprio pai a propria sorte.
Meu amigo um Natal com muita paz.
Beijos.

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Gostei tanto da sua visita, Manuel, que vim correndo...

Não é "quase" um conto, esse!É, isto sim, um belíssimo conto. Nele, você revela sentimento solidário de imenso valor, com o próximo.

Deixo meus votos de Feliz e Santo Natal, extensivo à sua família.
Carinhoso abraço!

Carmem Grinheiro disse...

Boa noite caro Manuel,
Um carinho, esta sua história. Há muitos e muitas, de quem os/as filhos/as esqueceram. Por uma razão ou outra, aconteceu e permanece como normal. São vidas...

Tenha um Natal com paz e saúde, e que o Natal passe e essa paz e a saúde se mantenham, que isso sim, é verdadeiramente importante.
Abço amigo

Evanir disse...

Meu amigo , Manuel.
Li a cada palavra do seu comovente relato.
Uma verdade doida de se ler mais infelizmente existe filhos que tem vergonha dos pais.
Nessa noite vi também o tamanho da bondade do meu amigo .
Manuel sei que em Portugal essa época do ano é frio de doer .
O Natal com frio eu não imagino como seria para mim acostumada ao calor do Brasil...
Esta aqui uma grande amiga de Portugal essa época do do ano fico feliz por saber que minha amiga breve vira me visitar.
Gosto de ouvir ela contar sobre seu Pais me encanto com a ternura
com que ela fala da amada Lisboa.
Manuel diante da sua magnifica história real me curvo diante da generosidade do seu coração.
Feliz Natal.
Deus abençoe você e sua família.
Abraços fraternos.
Evanir.

Evanir disse...

Manuel..
Aqui estou de volta para agradecer o toque .
Nunca cometi tamanho erro na minha postagem.
Além de Portugal nem o Brasil estava na lista .
Eu não ando bem a algum tempo mas isso ñ poderia ter me induzido a tamanho erro .
Por isso tenho cogitado meu afastamento no blog.
Meu amigo.
Eu se pudesse um dia conheceria Portugal sonho de criança infelizmente nunca pude realizar
esse sonho.
Hoje minhas amizades de Portugal
estão de cadeira cativa no meu coração.
Foi cultivada com muito sacrificio
foram anos para ter essa amizade que por nada nesse mundo desejo perder.
Obrigada mais uma vez carinho.

Smareis disse...

Manuel muito lindo seu gesto.
Esse homem deve ter se sentido feliz e maravilhado com a sua atitude em convida-lo para jantar contigo. A gente vê muitos casos de pessoas que tinha tudo, e hoje andam pelas ruas abandonado pelos filhos, família, vivendo de ajudas que recebem. Você foi muito generoso e solidário... Ofereceu para aquele homem, o que talvez ele mais precisasse naquele momento, que era atenção, carinho e respeito, além de alimentação e agasalho. Atos como esse, deixa Deus sorridente e feliz.
Não há nada mais emocionante que a sensação de ver nos olhos do outro o brilho da esperança.

Feliz Natal e um Ano Novo cheio de realizações para você e todos os teus.
Obrigada Manuel por ter trilhado comigo nesse ano de 2014. Conto com tua companhia em 2015.
Um punhado de sorrisos!
Beijos no coração!

✿ chica disse...

Manuel, sempre me emocionas! Adoro te ler !

Aproveito para desejar um Feliz Natal e tudo de bom em 2015 ,que possamos estar sempre ,com alegria, saúde, por aqui nos encontrando! abrs, chica

Brisa Petala disse...

Oi amigo
Que sua vida seja abençoada e que transborde em paz, saúde e harmonias. São os votos de Feliz Natal e mais um Ano Novo Feliz!!!!
Obrigada por sua amizade.
Ana

Magia da Inês disse...

⋯ ✰ ⋯
⋰ ⋮ ⋱

História muito triste... filho desnaturado!

O Natal está chegando... o amor, chamado Jesus, nos pede permissão para entregar toda a paz e felicidade que nos são destinadas.


FELIZ NATAL!
BOAS FESTAS!
°。✿⊱。。

Rose Sousa disse...

Meu amigo Manuel, que conto extraordinário! Muito gentil e nobre de sua parte o que fez. Te aplaudo pelo conto e pela nobreza de sua alma. Feliz natal e obrigada sempre pelo carinho de visitar o meu blog. Abração, querido!

dilita disse...

Olá Manuel

Muito bonito, mas muito comovente este conto. Principalmente por ir além do imaginário. Quando sabemos, quando sei, que se baseia num facto veridico, sempre me emociono. A tristeza me faz doer.
Bonito o gesto de dar a gabardine, parecido com São Martinho quando deu metade da longa capa...
Gostei muito,mas fiquei também "muito" triste.

O conto anterior também apreciei bastante, não comentei por falta de tempo...
Muito obrigada pelas visitas e palavras simpáticas no meu birras.

Ainda agradecimentos pelos desejos de Feliz Natal. Faço minhas as suas palavras para lhe desejar igual, ou se possível em duplicado.
Um abraço da Dilita.

Manuel disse...

WRicardo Santos deixou um novo comentário na sua mensagem "Quase um conto de Natal.......":

Manuel
Talvez muitos que por aqui passam e leiam esta tua história verídica se sintam e possam também um dia torná-la realidade para eles próprias e albergarem por uma refeição em suas casas, alguém que precise de um pequeno repasto e duas horas de amizade !
Obrigado



Publicada por Ricardo Santos em navoltadotempo a 21 de dezembro de 2014 às 21:49

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Manelamigo

Sempre te disse que eras um Escritor com Caixa Alta. A haver dúvidas (que não as há) este conto natalício matava-as todas.

É de vivências verdadeiras, reais, não virtuais, que se faz um conto como este. Que me empolgou e simultaneamente me emocionou. Foi num Natal, mas podia ser num outro dia, pois "Natal é quando um Homem quiser..."

Aproveito esta mistura de sentimentos que me provocaste - e bem - para te agradecer, ainda que tardiamente - a tua presença no Palácio da Independência. Obrigado Amigo; e sempre te disse que ÉS um Escritor com Caixa Alta...

Abç

fernando disse...

Caro Manuel!

Não vou repetir o que já disse em outras ocasiões nos meus Comentários. Mas não deixo de dizer. Para se contar, ainda que seja curta, uma história, não se necessita um elevado Vocabulário,

O Manuel escore, que até uma criança de 6/7 anos consegue ler e entender.

Que tenha um Feliz Natal junto da Sua Família.

Jc

AFRODITE disse...


Com os teus contos, reais ou de pura ficção, também fazes magia...
Obrigada... e agradeço enviando-te votos sinceros de um

……………¨♥*✫♥,
………,•✯´………´*✫
…….♥*……………. __/\__
.….*♥……………… .*-:¦:-*…
…¸.•✫……… FELIZ NATAL…
...*♥………………………¨♥*✫♥…
.,•✯´…………………………,•✯´……
•♥……………………Muitos beijinhos
✯………………………Afrodite (^^)

rosa-branca disse...

Amigo Manuel, fiquei comovida com esse gesto tão lindo o que mostra que não é homem de coração grande, mas de um coração enorme. Obrigado pelo seu carinho lá no meu canto. Talvez para o ano eu consiga regressar...se conseguir escrever...é que há alturas em que as palavras morrem, ficam vazias... Desejo-lhe um feliz Natal com muita saúde, paz e muito amor. Beijos com o meu carinho sempre

SOL da Esteva disse...

Manuel, Amigo. A minha resistência traiu-me! Não pude conter as lágrimas.
Acho que a idade permite deixar a semente da bondade e a delicadeza do Espírito.
Se o não houvesses referido, acreditaria na suspeição na raíz da verdade.
Uma preciosa narrativa de Vida.
Que tenhas um Santo e Feliz Natal.


Abraços



SOL

São disse...

Gostei.


Para si e para os seus, bom Natal e feliz 2015!

Magia da Inês disse...



FELIZ NATAL!!!
✿╯BOAS FESTAS!!!
╰✿╮

Magia da Inês disse...



Que o Ano Novo venha como uma chuva de paz no mundo todo!...
Que seja tudo de bom e nos surpreenda com muita saúde e muitas alegrias!

(⁀‵⁀) ✫✫✫
.`⋎´✫✫¸.•°*””*°•.✫
✫¸.•°*”˜”*°•.✫✫
.•°*”˜˜”*°•.✫✫✫

★ FELIZ 2015!!! ★

Flor de Lótus disse...

Olá,Manuel!Primeiro queria te agradecer pelo teu carinho e amizade ao longo desse ano e espero contar contigo ao longo de 2015. que lindo gesto é bom saber que ainda existem pessoas boas que se preocupam com os outros e são os pequenos gestos que fazem toda diferença.
Um feliz 2015!
Beijosss

Flor de Lótus disse...

Olá,Manuel!Primeiro queria te agradecer pelo teu carinho e amizade ao longo desse ano e espero contar contigo ao longo de 2015. que lindo gesto é bom saber que ainda existem pessoas boas que se preocupam com os outros e são os pequenos gestos que fazem toda diferença.
Um feliz 2015!
Beijosss

Mirtes Stolze. disse...

Bom dia Querido Manuel.
Retornando para lhe desejar um belíssimo ultimo domingo do ano de 2014. Obrigada meu amigo pela sua amizade gratificante.
Um forte abraço.

Janita disse...

A essa atitude de não querer abusar apesar de precisar, eu chamo de dignidade, coisa tão rara no tempos actuais.
Também já fiz algo semelhante, mas na rua e com um adolescente que pedia para comer. Levei-o a um restaurante na Rua do Bolhão, quando vinha a descer essa rua vindo do parque de estacionamento Silo-auto e, apesar da relutância do empregado, fiz o rapaz sentar-se a uma mesa e paguei o almoço que ele pediu.
Ainda hoje a minha filha, que me acompanhava, fala nisso.
O rapaz, nunca mais o vi por aqueles lados, nem em lado nenhum.

Gostei de ler , mas lamento o abandono a que são votados os idosos que têm família que lhe devem carinho e apoio.

Um abraço, Manuel e Bom Novo Ano.

Janita