sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Mea Culpa


Há sempre alguém que resiste
Há sempre alguém que diz não
(Manuel Alegre)


Todos os dias penso o mesmo, mas o ciclo vai-se repetindo e fica sempre adiado para outro dia. È difícil fugir aos hábitos a que nos vamos arreigando ao longo dos anos.
Sei que o amanhã será sempre diferente do ontem e até do hoje, mas fica sempre a ideia de que poderá ser melhor.
Vem isto a propósito da inconstância da vida, da forma leviana como vivemos o dia a dia, indiferentes as misérias que nos rodeiam.
Vimos as notícias na Televisão, ou lemos no jornal e ficamos consternados, mas pouco tempo depois já esquecemos tudo e continuamos indiferentes na procura do nosso conforto e do nosso bem-estar. Esquecemos por que queremos esquecer, por egoísmo, porque é mais cómodo.
Mas a vida é mesmo assim. Todos os dias deixo para amanhã o meu contributo.
Todos os dias fico à espera que os outros resolvam aquilo que eu também deveria ajudar a resolver.
Mea culpa.

2 comentários:

AnaT disse...

Tem o "consolo" (será que ajuda...) que não é o único! Todos temos essa culpa, reclamamos, protestamos mas acabamos de braços cruzados!

Filipinha disse...

Aprendi que por vezes um simples sorriso é suficiente para fazermos tanto...

Se é que existe culpa, não é sua Manuel, é de todos nós.

E não estamos de braços cruzados, Ana T.. Pode parecer que estamos mas não estamos.

Todos os dias, ainda que sem darmos por isso, contribuimos para aliviar o sofrimento de alguém.