quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Carnaval......


Apareceu do nada, de repente, como se ali sempre tivesse permanecido.
Tinha um nariz cómico, de ponta arredondada tal como a bola que os palhaços costumam colocar.
Os olhos eram duas esferas que giravam constantemente em todas as direcções, como os dos camaleões.
Era um pouco grotesco e insólito na maneira como estava vestido. Roupas ás tiras coloridas com pequenos guizos nas pontas. Rodopiava deixando no ar a musica daquela profusão de adornos musicais.

Fiquei amedrontado.
-Amigo, apareces assim desta forma que até assustas as pessoas!

Sorriu, num esgar de dentes brilhantes.
-Não me conheces? Chegou o meu momento. Agora é tempo para eu brilhar.
-Mas quem és tu? Estranho, extravagante, cómico e irreal?
-Vê-se bem que andas arredado do Mundo. Andas distraído? Eu sou a esperança!
-Mas, não compreendo esse teu ar tão cómico!
-Tem que ser assim, tenho que me distinguir dos que andam disfarçados. Dos falsos,
dos hipócritas, dos aduladores. Eu estou como sou, os outros andam dissimulados.

Depois dançou num frenesim.
Rodopiou fazendo ouvir todos os sons que lhe enfeitavam o fato.

Fui obrigado a sorrir.
Já valeu a pena.

1 comentário:

AnaT disse...

Grande verdade! Mas gosto desta esperança!...