quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Dia 14 e antes que alguém se antecipe......



Todos sabemos que foi o marketing quem criou todos estes dias especiais.
Temos o dia da mãe, que começou por ser no dia 8 de Dezembro e, saibamos lá porque, alguém se lembrou de mudar.
Dia dos namorados, dia da mulher, dia dos avós, da saudade e... eu sei lá quantos. Só não conheço o dia do homem. Há, ou será que são todos os outros? Não acredito!
Mas isto foi apenas um pequeno intróito.
Voltando ao que aqui me trouxe ou seja o Dia dos Namorados,no dia 14, vejamos o que nos diz a história acerca do dia de São Valentim:

"Durante o governo do imperador Caldeus II, este proibiu a realização de casamentos em seu reino, com o objectivo de formar um grande e poderoso exército. Caldeu acreditava que os jovens se não tivessem família, se alistariam com maior facilidade. No entanto, um bispo romano continuou a celebrar casamentos, mesmo com a proibição do imperador. Seu nome era Valentim e as cerimónias eram realizadas em segredo. A prática foi descoberta e Valentim foi preso e condenado à morte. Enquanto estava preso, muitos jovens jogavam flores e bilhetes dizendo que os jovens ainda acreditavam no amor. Entre as pessoas que jogaram mensagens ao bispo estava uma jovem cega: Assíria filha do carcereiro a qual conseguiu a permissão do pai para visitar Valentim. Os dois acabaram-se apaixonando e ela milagrosamente recuperou a visão. O bispo chegou a escrever uma carta de amor para a jovem com a seguinte assinatura: “de seu Valentim”, expressão ainda hoje utilizada. Valentim foi decapitado em 14 de Fevereiro de 270 d.C." (Texto copiado na diciopedia)

Embora critico destas regras que nos impõem, não me posso desassociar da data.
Para todos os namorados (casados também são namorados) a minha homenagem com esta linda poesia de Almeida Garret

Os Cinco Sentidos
São belas – bem o sei, essas estrelas
Mil cores – divinais têm essas flores;
Mas eu não tenho amor, olho para elas;
Em toda a natureza
Não vejo outra beleza
Senão a ti – a ti!
Divina – ai! sim, será a voz que afina
Saudosa - na ramagem densa, umbrosa.
Será; mas eu do rouxinol que trina
Não oiço a melodia,
Nem sinto outra harmonia
Senão a ti – a ti!
Respira – n'aura que entre as flores gira,
Celeste – incenso de perfume agreste.
Sei... não sinto: minha alma não aspira,
Não percebe, não toma
Senão o doce aroma
Que vem de ti – de ti!
Formosos – são os pomos saborosos,
É um mimo – de néctar o racimo:
E eu tenho fome e sede... sequiosos,
Famintos meus desejos
Estão... mas é de beijos,
E só de ti – de ti!
Macia – deve a relva luzidia
Do leito – se por certo em que me deito;
Mas quem, ao pé de ti, quem poderia
Sentir outras carícias,
Tocar noutras delícias
Senão em ti – em ti!
A ti! ai, a ti só os meus sentidos
Todos num confundidos,
Sentem, ouvem, respiram;
Em ti, por ti deliram.
Em ti a minha sorte,
A minha vida em ti;
E quando venha a morte,
Será morrer por ti...

5 comentários:

AnaT disse...

Mto bonito! Qto ao dia do Homem... se pesquisar no Google encontra algumas dicas ;o)

Filipinha disse...

Eu não tenho paciência para o dia dos namorados!

Não gosto deste dia tão comercial!

Quando se quer mesmo namorar e dar presentes todos os dias são dias dos namorados.

Namoremos e comemoremos muitos mas sem datas marcadas!! ;-)

Manuel disse...

Respondendo as duas:
Dicas não servem, falta a realidade.
Estou com a Filipa, penso o mesmo.

Filipinha disse...

Ele há pessoas...

"No dia 5 de Fevereiro escrevo um texto sobre o dia dos namorados e depois até dia 14 o tema está actual..."

Suponho eu que algumas pessoas devem pensar assim... :D

Manuel disse...

Espero que sim