quarta-feira, 20 de maio de 2009

A Estrela que eu procuro….



Nas noites escuras eu gosto do céu estrelado de Alfarim, onde as estrelas ardem numa luz diferente.

Fico, então, a contemplar o firmamento até que os meus olhos se deixem inebriar pela luz que irradiam.

Embevecido, contemplo, até que a minha vista se canse na procura vã de uma estrela que brilhe mais que todas as outras.

Sinto o arrepio da noite no meu corpo, sinto o cansaço do contemplar e o imaginário invadir os meus olhos, que se estreitam num último esforço de procura.

A fadiga não me permite ver mais além, e as estrelas formam uma mancha de fogo e brilho que não me deixa, mais, procurar aquela que me pertence.

Fecho-os lentamente e dentro de mim nasce, então, a estrela que há tanto procuro.

2 comentários:

Filipinha disse...

Lindo.

Escreva mais destes textos que são escritos com o coração.

AnaT disse...

Eu tb gosto de contemplar o céu estrelado... e acredito que as estrelas que procuramos estão lá... e cá dentro também brilham, só para nós, mesmo quando as nuvens não nos deixam vê-las!...