quinta-feira, 16 de julho de 2009

Momentos.



Olhou no espelho a sua nudez e sentiu que ainda mantinha umas formas invejáveis.
Passou as mãos, suavemente, pelos seios e sentiu que alguma flacidez começava a anunciar os seus, quase, 40 anos.

Tinha que se despachar, não podia perder tempo a apreciar os contornos de uns quadris bem desenhados, nem a admirar a suave curva de um rabo ainda bem firme.

Agora ele estava quente e esperava por ela para a embrenhar na beatitude de uns momentos de prazer.

Era a altura sublime para sentir-se mergulhar e deixar que os seus pensamentos se estirassem na volúpia do gozo que a esperava.

Deitou-se devagar sentindo o seu corpo ser acariciado em movimentos circulares, sentiu a maciez percorrendo a sua longas pernas e entrando em espirais leitosas que se iam diluindo em suave movimentação em redor da sua pele macia.

Fechou os olhos numa sensualidade estudada e deixou soltar um pequeno suspiro quando sentiu uns bafos quentes percorrendo as suas coxas, subindo num encaracolado de ondas de suaves carícias.

Deixou desfalecer o corpo, semi-cerrou os olhos e quedou-se numa prostração sensual. Absorta. Voluptuosa. Lúbrica.

Ficou assim por largos momentos até sentir que o calor que a confortou ia, pouco a pouco, desaparecendo.

Enrolou o corpo na toalha e deu por terminado o seu banho de jacuzzi.

4 comentários:

AnaT disse...

Ficamos sempre na expectativa...
;o)

Filipinha disse...

Manuel... Nem vou comentar para não dizer que pensamos sempre noutras coisas.
Adorei. Fiquei com vontade..........








... de tomar um banho de Jacuzzi!! :)))

Telma Ramos disse...

"Passou as mãos, suavemente, pelos seios e sentiu que alguma flacidez começava a anunciar os seus, quase, 40 anos...." Pois Amigo Manuel, já eu não posso dizer isso porque tenho 45 anos e os meios seios já estão...nem digo! :) ahahah
Beijocas

Manuel disse...

Ana: Na expectativa porque? Não me conhece?
Filipa:O Jacuzzi está, à espera, feliz.
Telma:Nem todos pensarão assim, há sempre mãos ávidas para colher as uvas.