quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Segui os teus passos



Segui os teus passos como se os teus pés fossem o embalo do meu caminhar;

Segui os teus passos perdido na jornada confusa da senda do teu percurso;

Segui os teus passos em memórias dispersas num caminho sem avançar;

Segui os teus passos num horizonte sem fim... vereda estreita e tortuosa;

Segui os teus passos em agruras de marcas indeléveis... num futuro sem termo;

Segui os teus passos na tristeza de tempos que foram e mais não são;

Segui os teus passos e sinto as grilhetas cravadas na carne... sangue... exangue;

Segui os teus passos como alma olvidada no tempo,gritos de ais... promessas de nãos;

Segui os teus passos com saudades de períodos que não existiram...alento perdido no etéreo;

Segui os teus passos em clamores de mágoas... lágrimas...saudades... lembranças esquecidas;

Segui os teus passos...por fim... destruído de existência, morto de emoções...trôpego...extinto;

Segui os teus passos... cego...enganado por promessas que eram mentiras, apenas embustes;

Segui os teus passos e hoje nada me resta, nem o simples rasto dessa...longa... caminhada.

Hoje não tenho os teus passos...

...caminho nos meus... na procura de quem me possa encontrar.

4 comentários:

AnaT disse...

LINDO!!!!!!!!! O meu Amigo Manuel é um Poeta escondido!

Manuel disse...

Sabe que este tempo convida a uma certa nostalgia?
Olho o horizonte na procura do Sol e apenas as nuvens me pronunciam mais chuva. A solidão toma conta de mim e as coisas fluem.

Luz disse...

Manuel, lindo! Brilhante!
Este "Segui os teus passos" tem muito
que se lhe diga...
Quantas vezes caminhamos nos nossos passos na busca de outros que connosco possam caminhar e, seguimo-los nessa esperança de um dia alcançar e sentir que os nossos passos são também os outros passos...
Quando perdemos esses passos, por vezes, ficamos assim..., apenas com os nossos..., quem sabe um dia...
Adorei! E quero ver brotar mais poesia :)

Beijinho

Filipinha disse...

Manuel... Tanta nostalgia. É tão bom, por vezes, escrever sobre o que foi e já não é ou até sobre o que poderia ter sido... :)))

Adorei este texto.

Um grande beijinho