domingo, 6 de março de 2011

Eu gosto de sonhar.



Mesmo acordado deixo a minha imaginação levar-me aonde, já, nada mais me pode conduzir.

Regresso ao passado, ando por caminhos que já trilhei.

Volto a um Alentejo onde os meus avós, me deixavam ser um príncipe livre e encantado.

Sinto-me a correr por campos, entre estevas, pisando as flores amarelas que atapetam os torrões secos.

Brinco fazendo bonecos com as papoilas. Corro atrás dos pulos dos gafanhotos. Tento surpreender, antes dos saltos, as rãs que papejam pousadas numa pedra da poça.

Persigo as borboletas que rodopiam entre as amareladas flores da carqueja.

Oiço os gritos de quem me leva.

-Põe o chapéu na cabeça.

Um chapéu de palha com uma fita branca.

Serve para tapar do Sol e para guardar qualquer bicho, mais afoito, que consigo surpreender.

Não era este que eu queria, eu pedi um chapéu de cowboy.

Está ali um cágado! Pachorrento entra na água e desaparece entre as pedras do fundo do charco.

As abelhas zumbem á volta de um tronco de uma velha azinheira.

Ao longe uma vaca, pachorrenta, masca as secas ervas que restam no solo.

O Sol torra e as aves ficam bem recolhidas numa sombra que as proteja deste braseiro de um Agosto solarengo.

Sinto que o Mundo é todo meu, tenho a liberdade que em todos os outros dias me falta.

Á noite, junto á luz de um bruxuleante candeeiro a petróleo leio, embevecido, umas páginas do “Olhai os Lírios no Campo” de Eurico Veríssimo e deixo-me conduzir pelo emaranhado da história de Eugénio e Olívia, até que o sono me vença.

Amanhã, quando acordar, vou fazer com uma cortiça que encontrei, o mais lindo carro puxado por dois machos.

Depois, vou andar á volta da nora a acompanhar o burro que, de olhos vendados, percorre um caminho imaginário.

Gosto mesmo de sonhar.

Gosto de voltar aos tempos em que a felicidade foi minha companheira.


11 comentários:

PnS disse...

Caro Manuel,
Adorei este sonho... também eu sonhei... viajei por tempos tão felizes que nem sei... são tantas as noites em que me imagino naquela que um dia chamei de minha colina algures por terras do Alentejo.
Um texto muito bonito que me encantou.

Beijinhos

Ludmila Ferreira disse...

Aii.. que texto lindoo!!!!

Muuitas saudades de tii!!

Saiba que estou me recuperando bem apesar da ultima cirurgia que fiz. Estou com saudades mais não sei se volto para o blog... Percebo que no fim das contas eu não fui feita para escrever.. =( Mais estou bem feliz por existir pessoas como você que faz tuudo isso valer a pena.

Eu gostoo muiito de sonhar!!!!

Um enooorme beeeijOdalua!

Vivian disse...

Bom dia,Manuel!!

Ah!...Que lindo!!!Sonhar é ganhar asas, ser livre...
Adorei passear com suas lembranças, lindos momentos, da mais pura felicidade:estar vivendo!!
Mas que esta felicidade não fique para trás!!Cultive-a, agora, nestes momentos presentes!!
Seja feliz!!Por espalhar pelo mundo lindos contos!!E fazer feliz quem o lê!
Beijos!!

SDaVeiga disse...

Lindo!!!
Que bela infância essa!
Que a do netinho seja assim repleta de Natureza viva e bela!
Boa semana!

Gigi disse...

O Manuel sonha bem, mesmo estando acordado.
Adorei este seu texto alentejano... Eu, uma saloia com ares de alfacinha, de origens alentejanas e muitas, muitas recordações desse Alentejo de que tanto gosto.

Beijinhos

Elaine Barnes disse...

Amei esse texto tão primoroso. A felicidade está aonde podemos ir. Não depende de ninguém.Só de nós mesmos,quando decidimos que a queremos e vamos buscá-la ate no voo suave e belo de uma borboleta.
Montão de bjs e abraços
http://nosolhosdacoruja.blogspot.com/

acácia rubra disse...

Manuel

Se julga que correu sozinho; que pisou, sozinho, as flores de todas as cores; que viu ou ouviu a rã ou o grito... Se acredita mesmo que vai fazer de cortiça o carro que imaginou antes de adormecer... desengane-se.

Eu estive consigo ao longo do seu sonho porque as imagens eram tão vivas e escancaradas que eu entrei por elas adentro e fui vivendo, a medida que o Manuel ia sonhando.

Foi bom!

Beijo

Dina Vieira disse...

É nos sonhos que podemos tudo...
Obrigada por " partilhar " este momento lindo.

AFRICA EM POESIA disse...

Manuel
vim e gostei como sempre acontece do teu texto


No dia da Mulher venho gritar...


LIBERDADE


Liberdade
Felicidade de ser
Felicidade de estar
Felicidade de saber ser
Cortar amarras
Deixar prisões
E alargar o amor
Para vencer a liberdade

Ser livre e livre
Estar solto
E saber dar valor
Ao melhor
Que a vida lhe deu
E que é tão pouco
Pois é apenas...
A sua Liberdade...


LILI LARANJO

Vivian disse...

Bom dia,Manuel!!

Vim desejar-lhe um ótimo dia!!
E deixar um beijo e um abraço!!

Marcia Morais disse...

eu também gosto de sonhar...embevecida das palavras muito lindas bjos!